domingo, 7 de novembro de 2010

F1 Brasil: piloto Jenson Button sofreu tentativa de assalto a mão armada

Após "situação assustadora" nas ruas, Button critica segurança de São Paulo
Foto: Reuters

No dia seguinte ao susto e momentos de terror que passou nas ruas de São Paulo, quando sofreu tentativa de assalto ao voltar do Autódromo de Interlagos, Jenson Button criticou a segurança da cidade que recebe a penúltima corrida da temporada de 2010 da Fórmula 1. De acordo com informações do site Autosport, o inglês da McLaren afirma que o incidente "mostra os perigos" da capital paulista e a necessidade de "tomar mais cuidado".

Ao relembrar a abordagem de homens armados e o rápido trabalho de seu motorista, que arrancou com o carro e deixou para trás os assaltantes, Button disse que "é uma coisa horrível de acontecer", mas destacou que todos estão bem agora, citando que estava no veículo com seu empresário, seu pai e o fisioterapeuta da McLaren. Recuperado, o piloto diz que agora quer se concentrar para fazer uma boa prova em São Paulo.
O atual campeão mundial ainda lembrou o sentimento desconfortável dos pilotos no dia-a-dia em São Paulo, citando que "a maioria tem escolta para o circuito, um carro à prova de balas e um motorista policial". Button finalizou afirmando que viveu uma "situação assustadora", "estranha" e que não "acreditava no que estava acontecendo".

http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2010/noticias/0,,OI4778397-EI14633,00-Button+tentativa+de+assalto+mostra+o+quanto+SP+e+perigosa.html

Comtentários do blogueiro:

A Copa e as Olimpíadas vem aí e mais um fato, dos quais estamos acostumadíssimos, se passou - tentativa de assalto a Jenson Button.

Salvo engano, há dois anos consecutivos, algum tipo de problema desse gênero acontece com pilotos ou suas equipes no Grande Prêmio do Brasil, em São Paulo.

Dado o processo de mediocrização que vem assolando nosso país, é bem provável que acontecimentos desse gênero se tornem cada dia mais comuns, e as pessoas, cada vez mais acostumadas e acomodadas com eles. Se bobear, é provável que estejam todos felizes, ainda com os 50.000 homicídios por ano do Brasil, afinal, agora somos "putenssia ecunomika".

A cada dia que passa, o sentimento de vergonha me toma mais. E não apenas por fatos como esse não, pelo "conjunto da obra" mesmo. Pior que um ambiente ruim, só um ambiente ruim em que as pessoas estão crentes que tudo "vai bem".

Bem provável vir um zé-ruela, querer "argumentar" que isso ocorre "em qualquer lugar do mundo". Sim meu aprendiz de boçal, crimes acontecem no mundo inteiro (espero que quem pense assim não pretenda ganhar o Pulitzer por isso). O problema é a FREQUÊNCIA absurda com que isso acontece cá nos trópicos, right?




Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.