sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Ponderando sobre Londres com Pondé

Gostaria de acrescer algumas ideias ao texto do Pondé sobre Londres.

As ideias que o nosso mais recente filósofo POP publicou em seu artigo vinham pululando na minha cabeça, provenientes de fontes diversas: colunas de outros articulistas, experiências pessois de pessoas próximas, estudos, leituras de jornais locais, etc, etc.

Somando-se tudo isso ficou claro, ao menos para mim, que o que está acontecendo em Londres NÃO constitui uma revolta do proletariado oprimido contra o capitalismo opressor, na verdade, parece que os "manifestantes" lamentam profundamente eles próprios não fazerem parte da "dinâmica" capitalista, tendo em vista o número de saques nas lojas da Apple, o número de roubos de TV's de LCD, os encontros marcados via Blackberry, etc.

Penso eu que, por uma questão de sanidade mental, qualquer um, inclusive os camaradas socialistas/comunistas, deveriam aguardar mais e averiguar melhor antes de cantarem uma revolução comunista onde só temos um caso de arruaça juvenil e estrangeira. Isso é ruim para todos.

Outra coisa que tenho de ressaltar: a Europa vive um momento de TRANSIÇÃO. Um projeto que pretendia-se de sucesso está falhando. O multiculturalismo (averiguem a nacionalidade/nacionalidade de origem dos "manifestantes" em Londres), o welfare state, as políticas assistencialistas dos PIGS (só para dar um exemplo, anos atrás Portugal oferecia um seguro desemprego de 36 MESES para alguns): mais cedo ou mais tarde teria-se de pagar a conta desse longo almoço.

Bom, estão pagando, a diferença é que TODOS estão pagando, os que almoçaram e os que não almoçaram.

Qualquer semelhança com os Tristes Trópicos NÃO é mera coincidência.

E não, eles não leram Aristóteles e Kant. Eles leram, na melhor das hipóteses, O Segredo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.