sábado, 30 de junho de 2012

A virtude de ser pessimista: uma paródia da aposta de Pascal

Por André


Os livros populares de auto-ajuda, os gurus da New Age querem vender o peixe do "pensamento positivo". Bobagem. Em inúmeros sentidos, primeiro, pensamento não é partícula atômica pra ser positivo ou negativo, pensamento é pensamento, é uma determinada conjunção neural, nada mais, nada menos.

Outro dia me deparei com uma citação de Paulo Coelho, profetizando que o Universo conspira a nosso favor. Outra bobagem. O universo é indiferente à nossa existência. É imenso demais para conspirar em favor de algo tão insignificante.

Até aqui nada de novo no front. As pessoas são idiotas e precisam de inúmeros subterfúgios e muletas psicológicas para conseguirem levantar da cama todos os dias. Quer coisa melhor que achar que o Universo (trata-se apenas do discurso religioso travestido na linguagem da Nova Era) está movendo os pauzinhos para te ajudar a conseguir 5% de aumento salarial, quando na verdade você está sozinho, nada nem ninguém dá a mínima para você (ou para ninguém)?

Contudo, a baboseira do pensamento positivo é um engodo num segundo sentido, que me dei conta hoje.

""Pensar negativo""" é o que há, ou melhor, para sair do jargão de físico de araque, ter expectaticas negativas sobre as coisas é, no balanço das horas, melhor que "pensar positivo".

A analogia para entender o argumento é muito parecida com a famosa e controversa "aposta de Pascal".

Pascal, o matemático e filósofo autor das Pensées, ao se dar conta que não é possível provar a existência de Deus por meio da razão, decidiu que é mais prudente apostar na existência de Deus que na sua inexistência, você perde menos dessa maneira. Se apostarmos que Deus não existe e errarmos, perdemos, pois seremos condenados à danação eterna, se acertarmos, não ganhamos nada, já que então "morreu acabou". Caso apostemos que Deus existe e acertarmos, temos muito a ganhar: a (sic) salvação eterna. Ergo, colocando na balança, vale a pena apostar que Deus existe.

Pois eu digo, colocando os pesos e acertando as medidas, é mais prudente ter expectativas negativas que positivas. Explico:

Se você acha que tudo vai dar certo, você não racionaliza sobre suas possibilidades de frustração. Se der certo, você momentaneamente se sai bem, só que se as coisas dão errado, você se decepciona, é surpreendido negativamente e tem suas expectativas frustradas.

Se você tem expectativas pessimistas, se acha que tudo vai dar errado, você tem as seguintes vantagens: só pode ser surpreendido positivamente, o que vier de positivo é lucro, já que você esperava o oposto e já que você tem expectativas pessimistas, você acha que tudo que vai fazer dará errado, você passa a deter um "mapa do erro", o que lhe permite fazer por onde para evitar o erro, evitar a frustração e aumentar a possibilidade de ser surpreendido positivamente.

Portanto, parodiando Pascal, é mais razoável ser pessimista que ser otimista. Vale a pena apostar na hipótese pessimista. Chega de pensar que tudo dará certo, é hora de pensar que tudo dará errado! Eu pratico há algum tempo e funciona!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.