sexta-feira, 13 de julho de 2012

Metamorfose - Por Francisco Fragoso



Antes de tudo,
É difícil admitir,
Mas a vida nos engana.
Não vem com manual de instruções,
É rápida demais, quase nos atropela...
E sempre ficamos com a sensação
Que ficou alguma coisa incompleta.
(...)

E então
Num dia de abril qualquer
Nos encasulamos na velhice,
Que também possui seus encantos
- Até, porque, vamos nos esquecendo
De compromissos e datas inúteis -
E sem alarde ou manchetes
Estranhamente nos fixamos na rota
Daquela caravana perdida,
Na gare do trem fantasma,
E conversamos por horas a fio
Com a criança que éramos,
Mas seu nome não mais nos vem à lembrança.

E então, lagarta sabida
E plena da vida levada,
Forçamos a abertura da casca
E voamos por sobre a cidade
- borboletantes -
Numa rasante despedida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.