quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Nota sobre a LihS e o Bule Voador

Por André,



Já há algum tempo estou planejando uma postagem para comentar o modus operandi da equipe do Bule Voador/LiHS (liga humanista secular), presidida pela figura do biólogo evolucionista Eli Vieira e uma sólida rede de colaboradores. Eu mesmo debati ao lado do Eli Vieira e admirei sua retórica muitas vezes.

O propósito inicial do projeto era estabelecer os pilares do humanismo secular, [supostamente] o único sistema ético positivo possível para um ateu.

Contudo, após uma relativa "fama" do site do Bule Voador e da LiHS, seus idealizadores aderiram plenamente a TODA a agenda esquerdista: feminismo mordaz, bandeiragam da causa homossexual, total e ampla simpatia ao PT e a Dilma et caterva. Tudo isso já rendeu à trupe, por exemplo, o apoio público do deputado ex-bbb Jean Willys.

E eles não se tornaram (para reunir tudo sob uma alcunha só) comunistas apenas nas ideias, mas também nos atos. Por ocasião do episódios da badernagem dos maconheiros da USP, este que voz escreve criticou a postura dos "manifestantes" e meramente por discordar foi sumariamente excluído da página do Bule Voador no Facebook.

Pouco me preocupa a existência de pessoas com a linha de pensamento adotada pelo Bule e pela LiHS. As pessoas têm direitos individuais inalienáveis e o direito de ser idiota e proferir suas idiotices é um deles.

O que me preocupa e incomoda é a inevitável associação que a turma do Eli causa na mente dos menos versados no assunto, entre esquerdismo e ateísmo.

É verdade que existe algo que poderíamos chamar de "ateísmo marxista". O caso é o seguinte: se você for um marxista coerente, você será necessariamente ateu. Uma compreensão do materialismo dialético de Marx te conduzirá inevitavelmente ao ateísmo. O ponto é que o caminho inverso não necessariamente é verdadeiro, é possível ser ateu, agnóstico e/ou niilista sem ser marxista/esquerdista. Podendo flutuar tranquilamente entre o libertarianismo e com um pouco mais de controvérsia entre o conservadorismo.

Muitos liberais (simpáticos às causas ditas "de direita") são ateus: Juliano Torres, Rodrigo Constantino, Daniel Fraga.

A panfletagem esquerdista da LiHS/Bule já está incomodando muita gente: os "debates" do Eli Vieira no Facebook e o emblemático caso da total e plena desvinculação do site CeticismoAberto (Kentaro Mori) com a Liga e o Bule.

Por favor, decidam-se: pratiquem sua militância esquerdista apenas com teor político, não jogue o ateísmo e o ceticismo no mesmo buraco. Vocês estão prestando um desserviço à causa.

6 comentários:

  1. Não acho que seja um problema associar ateísmo e esquerdismo, afinal, existe uma montanha muito maior de blogs na internet que associam ateísmo e direitismos (ceticismo.net e livrespensadores.net, por exemplo).

    O problema é que isso vem sendo feito de forma às vezes falaciosa ("Porque o Ateísmo é uma Crença", do Gregory Gaboardi) e nem sempre democrática, além de escorregadelas para a crendice, se conveniente (episódio da enfermeira crente fanática).

    Eu já dissequei o caso Bule Voador em meu próprio blog (arapucas-libertarias.blogspot.com) e já detectei naquele angu mais caroços do que você, talvez porque olhei com mais atenção, por mais tempo e com uma visão mais "de dentro" (pois sou também esquerdista).

    Recomendo uma leitura de meus artigos "E Entornou o Bule", "Coerência Humanista" e "Porque o Ateísmo Continua Sendo uma Crença".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José, o André, autor do Ceticismo.net, não é ateu. Ele é agnóstico estremamente imparcial. Mas as suas colocações levam muita gente a crer que ele é ateu, no entanto o mesmo se declara agnóstico.

      Excluir
  2. Suas sugestões são preciosas e bem-vindas, lerei material assim que possível.

    Talvez eu tenha me expresso mal, o problema não é a associação entre esquerdismo e ateísmo, mas transmitir a ideia de que essa associação é necessária e a panfletagem feita pelo Bule.

    ResponderExcluir
  3. Mas é realmente impossível ser direitista e ateu. A diferença básica entre esquerda e direita é na visão de mundo: a primeira é materialista; a segunda espiritualista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, muito complexa essa sua afirmação.

      Talvez (digo talvez porque eu, como direitista, não estudei todos os grandes nomes da direita, coisa que certamente a molecada da LiHs/Bule fez) eu concorde que não é possível ser um DIREITISTA CONSERVADOR e ser ateu. Russel Kirk elenca como um dos 10 princípios conservadores a crença numa ordem do mundo que foi impressa por Deus. Certamente essa visão de conservadorismo é incompatível com o ateísmo.

      Contudo, o que dizer da direita LIBERAL? Para quem a liberdade, bem como todos os direitos individuais estão acima até mesmo da ordem?

      Outra coisa, é paupérrima essa sua afirmação de que toda esquerda é materialista. O que dizer da esquerda hegeliana? O que dizer de um cara como Alexander Dugin, proponente dum misticismo espiritualista de colocar qualquer ocidental no chinelo e de uma esquerda militante e radical?

      Sobre a direita ser espiritualista, talvez isso valha para a direita conservadora, mas não vale para a direita liberal. Ayn Rand era uma racionalista nata, rejeitando todas as bobagens espiritualistas da época, bem como propondo o ateísmo como única posição racional possível.

      Recomendo também essa leitura:

      "É possível um ateu ser conservador (e vice-versa)?"

      http://direitasja.com.br/2012/11/15/e-possivel-um-ateu-ser-conservador-e-vice-versa/

      Excluir
  4. Muito bom, André.

    Sobre o que o JG disse sobre o livrespensadores.net ser direitista, não é verdade. Eu sou neo liberal (não tenho problemas com o "neo"), mas lá tem gente de todas as tendências. Apenas procuro, em meus textos lá, defender as liberdades individuais. ;)

    Abraços!

    ResponderExcluir

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.