domingo, 17 de fevereiro de 2013

Como a esquerda nos vê

Por André,



Esses ataques, esse ódio, tudo isso pelo mero discordar de um posicionamento político, por não endeusar Lula, me remete a inúmeras reflexões, que precisariam de um ou mais artigos para serem explicadas, contudo, direi algumas palavras.

Isso me remete, num primeiro momento, ao caráter totalitário e sentimental da esquerda - dogmáticos arrogantes. O liberal, direitista, conservador, não representa um adversário intelectual, que adotou um posicionamento antagônico no espectro político, cujas posições serão objeto de análise lógica e racional. Representa alguém digno de ódio e desprezo, a ser, sempre que possível, eliminado.

Depois, me remeteu à reflexão de Lionel Trilling, em seu "The Liberal [lembrando que, nos EUA, 'liberal' é o esquerdista, Obama é um liberal] Imagination, onde Trilling descreve com brilhantismo e riqueza de exemplos, como os "liberals" nos veem, liberais (de verdade) e conservadores: como caricaturas, arremedos não-humanos, monstros.

E, por fim, esse tipo de ocorrido só vem a reforçar as afirmações do professor Olavo de Carvalho, é uma tarefa vã o enfrentamento de esquerdistas pela via lógico-racional; enquanto pensamos "analiticamente", tendo sempre a verdade por télos, eles pensam dialeticamente, tendo a práxis e a utilidade por objetivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.