segunda-feira, 15 de julho de 2013

Inocentado pela justiça, culpado pela mídia. O caso Trayvon Martin e George Zimmerman e a veia racista da mídia norte-americana

Por André,


Um caso emblemático ocorreu nos EUA desde fevereiro de 2012 até ontem. O julgamento de um segurança - George Zimmerman - que matou um "rapaz" (fotos abaixo) - Travyon Martin - que já praticava roubos com frequência e por estar a agredir o segurança, foi morto pelo mesmo em legítima defesa. Esse caso deveria entrar para todos os manuais de jornalismo mundial como evidência final, conclusiva e definitiva do "liberal bias" da mídia. E a imprensa brasileira, supostamente conservadora (risos) repetiu ipisis literis a versão das obâmicas TVs americanas.

Zimmerman, o sujeito que foi insistentemente descrito como "branco hispânico" pela mídia.

Fotos da "criança" que poderia ser filho do Obama (a mídia não mostrou nenhuma dessas fotos).
Poderia ser apenas mais um problema comum de violência, contudo, a mídia e o presidente Obama, em sua típica moda esquerdista de sentimentalizar e racializar toda discussão possível, fez do caso um crime de racismo. Obama declarou que Martin poderia ser seu filho (não, não podia). A mídia iniciou sua guerra:

Zimmerman era descrito o tempo todo como um "branco hispânico". Diversos órgãos de imprensa falsificaram diálogos telefônicos para poder imputar a culpa de racismo em Zimmerman. Foi uma  jornada da mídia americana (enviesada à esquerda) para transformar o caso no maior crime de ódio desde a abolição da escravatura.

Vale lembrar que porcarias inventadas como ações afirmativas, politicamente correto etc. etc., são todas "made in USA". Ao que parece, tem contribuído pouco para solucionar o problema. Será?

Como diz Ben Shapiro (que aborda o caso no capítulo 3 de seu Bullies): quando as políticas esquerdistas falham, elas fazem sucesso. Casos como esse só geram esse tipo específico de repercussão graças a anos de "medidas" políticas que estratificam as diferenças que deveriam diluir, que instauram pseudo-conflitos entre brancos e negros, hispânicos e negros, hispânicos e brancos etc.

É essencial que esse tipo de conflito continue existindo para que as políticas do partido democrata continue existindo. Se os conflitos desaparecem, a esquerda será heroína de quem?

Todas as falsificações da mídia podem ser conferidas, seja em texto seja em vídeo, no link abaixo:

http://www.breitbart.com/Big-Journalism/2013/07/13/Media-Zimmerman-Coverage-Rap-Sheet 

E também, Os fatos mostram que Zimmerman não é racista.

Um fato sobre a violência contra negros nos EUA que você não vai ver numa grande rede de TV, americana ou de Pindorama:

Nos EUA morrem anualmente de 8 a 9 mil negros - 93 por cento deles assassinados por outros negros (e estes formam, oficialmente, 13% da população americana). Não é então uma delícia aparecer um "branco hispânico" pronto para ser acusado de qualquer coisa?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.