domingo, 11 de agosto de 2013

TV brasileira, realmente, um "antro de conservadorismo"

Por André,

A esquerda acusa as redes de TV, bem como a imprensa em geral, de ser conservadora. Será isso verdade?

Sempre é preciso lembrar que ao analisar atos da esquerda, esta age sempre de maneira pragmática, não dá ponto sem nó. A estratégia de alegar o conservadorismo da TV, quando na verdade ela domina a mesma tem, necessariamente, de ter algum propósito.

O que deve ser investigado é, a TV em geral ou alguma emissora em específico realmente é, POR PRINCÍPIO, conservadora?

Como afirmar que a Globo é conservadora sendo que TODAS as suas novelas têm personagens homossexuais, participantes importantes e que formam partes importantes das tramas?

O que dizer de seus programas sobre sexo, bem como suas novelas, também recheadas de temáticas sexuais e cenas explícitas?

O que dizer do pastiche sincrético promovido pela emissora, que é "acusada" de ser católica, mas flerta com o espiritismo abertamente? E ainda a Record na contramão, sendo a emissora "do bispo" e todas as demais emissoras vendendo gordos horários para neopentecostais dinheiristas?

O que dizer do programa "Esquenta" apresentado por Regina Casé, cuja finalidade maior é apresentar em horário quase nobre funk, rap e outras formas de "cultura popular".

O que dizer, a despeito da aclamada campanha antipetista (risos) promovida pela Globo, mas do PT no governo por três mandatos a caminho do quarto (sem mencionar os polpudos patrocínios da Caixa)?

O que dizer de programas como Pânico na TV e A Liga, cujo temática de baixo calão e sexual é constante? [Também em horários semi-nobres]

Realmente gostaria de saber o que há de conservador em tudo isso.

Ademais, falando de forma abstrata, qual rede de TV é sistematicamente contra o aborto, contra o desarmamento, a legalização das drogas, pró-EUA e pró-Israel?

Naturalmente que nada, a estratégia é clara: acusar as emissoras de algo que não ocorre, para poder estender livremente a estratégia de dominação. 

Stálin sonhava com o dia em que dominaria Hollywood. Ben Shapiro, em seu Primetime Propaganda documentou como a esquerda tomou conta das TVs americanas.

Joe Biden (vice-presidente de Obama) afirmou que Will, a personagem homossexual de Will & Grace fez mais pela agenda gay que toda a militância.


Boninho fala sobre a relação da Globo com comunistas (e da tolerância da própria e do sr. Marinho com os mesmos):



Globo sendo conservadora e reacionária, enquanto os personagens de suas novelas leem um Che básico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.