domingo, 1 de setembro de 2013

Glenn Beck e a "anatomia" de um racista

Por Alexandre Borges,


Glenn Beck faz uma reflexão interessante no TheBlaze sobre a "anatomia" de um racista. Abaixo um resumo:

"Como reconhecer a anatomia de um racista? Como identificar uma liderança política racista, o que eles têm em comum? Três características podem ser encontradas facilmente entre eles:

1. Um racista é incapaz de ver indivíduos, ele apenas vê grupos. O grupo que ele apóia estará sempre certo e será a vítima e o explorado em qualquer situação. O grupo que ele combate estará sempre errado e será culpado de tudo.

2. Ele não consegue ter um julgamento objetivo em nenhum assunto, rejeitando evidências, dados e fatos. A verdade dos fatos é irrelevante na construção dos seus discursos e opiniões.

3. Ele está sempre investindo na divisão e em jogar um grupo contra o outro, ele só ganha poder quando os grupos estão em confronto. Ele nunca dará um discurso pregando o entendimento, a "cura das feridas" e a paz."

Beck também explica o que batizou de 'ciclo do ódio', processo que o líder racista está sempre tentando iniciar:

"1. O ciclo do ódio começa com um evento específico que será usado como bode expiatório pelo racista para dividir a sociedade.

2. O racista plantará publicamente a discórdia, ele nunca aceitará a paz ou acordos, ele investirá sempre na divisão. Ele nunca deixará a sociedade 'esquecer' o evento usado para disparar o ciclo.

3. Será preciso também uma crise importante, normalmente econômica, para que a sociedade esteja insegura, nervosa e desesperada precisando de respostas para suas angústias. Nessa hora o racista aparece para eleger um grupo culpado pelos problemas e pregar o ódio e a perseguição a esse grupo como solução.

4. Quando todos os elementos acima estão presentes, a sociedade entra em colapso e acontece uma revolução ou uma guerra civil."

O TheBlaze pode ser acompanhado aqui: http://www.theblaze.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.