segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Moradores têm medo de aceitar emprego e perder o Bolsa Família

Por Estadão,

A segurança do Bolsa Família tem um significado tão forte para os moradores de Manari - como de muitos outros lugares no País - que rivaliza até mesmo com um emprego com salário bem mais alto. Quando o repórter do Estado estava na Secretaria de Assistência Social, uma mulher veio perguntar se, uma vez aceitando um emprego com carteira assinada no Espírito Santo, o seu cartão do Bolsa Família, que vence em breve, não seria renovado. O funcionário respondeu que sim. A mulher, que tem um filho, disse ao Estado que então provavelmente não aceitaria o emprego. "Depois volto e fico sem cartão", teme ela. "Não quero ficar sem o cartão." A mulher, que pediu para não ser identificada, disse que o salário oferecido era de R$ 700, para trabalhar de empregada doméstica. Ela recebe R$ 150 do Bolsa Família, e mais R$ 60 por mês como empregada doméstica em Manari - onde salários tão baixos são comuns. O funcionário contou que frequentemente as pessoas em Manari rejeitam empregos com receio de perder o Bolsa Família. 

L.S.

Um comentário:

  1. Isto faz sentido, porque do ponto de vista dela, ela não recusou um emprego de 700 reais, mas um aumento de 490 reais em troca de perder estabilidade. É por isso que qualquer tipo de ajuda governamental deve ser exclusivamente emergencial e com data pré-definida para terminar - isso supondo que exista alguma ajuda se justifique. A gratuidade tem efeito tóxico sobre as pessoas e desmotiva qualquer esforço em prol de atingir uma melhor situação.

    ResponderExcluir

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.