domingo, 3 de novembro de 2013

Violência no país aumenta e atinge pior índice desde 2008

Por O Tempo,

Brasília. No ano passado, os homicídios no Brasil cresceram 7,6% em relação a 2011. É isso que mostram os dados da criminalidade enviados pelas Secretarias de Segurança das 27 unidades da federação para o Anuário Estatístico do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Os dados completos do Anuário, encomendados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), serão apresentados na terça-feira. 

O total de assassinatos é o maior da série histórica desde 2008. Houve 50.108 casos no Brasil em 2012. O país registrou taxa de 25,8 homicídios por 100 mil habitantes. Os Estados do Norte e Nordeste seguem liderando o ranking de homicídios. 

Alagoas, com 61,8 casos por 100 mil habitantes, apesar de estar no primeiro lugar no ranking, registrou redução de 14%. Pará subiu para a segunda colocação, com 44 por 100 mil, seguido por Ceará (42,5), Bahia (40,7) e Sergipe (40).

“O padrão de homicídios no Brasil é muito alto, assim como os outros crimes. Isso mostra como não conseguimos enfrentar o problema da criminalidade urbana. Mostra a necessidade urgente de reformas nas polícias, para melhorar as investigações e o policiamento ostensivo. É um assunto que precisa ser enfrentado com coragem ou o Brasil não vai conseguir reverter esse quadro”, afirma o sociólogo Renato Sérgio de Lima, do FBSP.

Encarceramento. Segundo os dados do Anuário, o Brasil tem atualmente 515.482 presos, o que o coloca em quarto lugar no ranking daqueles com maior população prisional do mundo. Fica atrás apenas dos Estados Unidos (2,24 milhões), da China (1,64 milhões) e Rússia (681,6 mil).
Por outro lado, o Brasil fica em 7º lugar entre os países mais violentos. As mais de 50 mil mortes por homicídios são duas vezes mais do que a média de baixas em um ano de guerra entre Rússia e Chechênia, por exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.