sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O falso apelo ao sufrágio universal por parte da esquerda

Por André,

Com a quase guerra civil, prisão da oposição e levante popular, a esquerda brasileira exaltadora do bolivarianismo e doida pra importá-lo para cá está perdida. Tá usando e abusando do padrão duplo de análise. Quando é preciso e quando é contrariada, faz troça do processo democrático de escolha de governantes. Dispensa e dispensou o mesmo diversas vezes ao longo da história. E o fará de novo sempre que for necessário.

Mas nessa ocasião específica ela está fazendo apologia ao sufrágio universal e enchendo a boca pra dizer que a existência deste prova em definitivo que a Venezuela é uma democracia plena. Os pais fundadores da América, uma república constitucionalista, diziam que o único aspecto da democracia que eles gostariam de manter é o sufrágio universal. O sinal é evidente: não apenas de eleições diretas, ainda que uma por semana, definem um país como uma democracia.

Ditadores podem participar de pleitos, até Hitler participou de um. A equação "foi eleito = logo é bom" é duvidosa, e a esquerda é a primeira a duvidar dela quando for conveniente.

Um professor da UFABC (velho militante do MST) foi convidado para o programa Entre Aspas e toda a argumentação dele circulou, basicamente, em torno desse fato: dia sim, dia não, tem eleição da Venezuela. Quase um mantra.

Será que um professor de RELAÇÕES INTERNACIONAIS não sabe que eleição direta é apenas uma característica possível de uma democracia? A menos que a esquerda esteja praticando seu esporte favorito: o esvaziamento da linguagem. E democracia passe a ser o que eles bem entendam, de acordo com o interesse do momento.

Uma democracia é formada por sufrágio universal, mas também por liberdade de expressão IRRESTRITA, liberdade da prática jornalística IRRESTRITA, livre concorrência para chegar ao poder, segurança jurídica, judiciário e legislativo independentes, respeito à propriedade privada e autonomia individual. Qualquer país sério que pretenda chamar-se de democracia deve respeitar de forma praticamente irrestrita essas características. Eleições até Cuba, Coréia do Norte e Irã tem.

Se a Venezuela é uma democracia, como enchem as bocas os comunistas para afirmar, por que tanta dificuldade em obter informações seguras sobre o que ocorre? Por que tanta desinformação? Por que a demora dos meios de comunicação brasileiro em tratar com segurança do assunto? Por que tantas redes de TV fechadas e tantos jornalistas deixando o país?

Isso tudo só para ficar no básico.

Quem quiser informação imediata sobre a Venezuela, existem páginas no Facebook com informações em tempo real e também uma lista de 50 perfis no Twitter, compiladas pelo Yuri Vieira:

https://twitter.com/yurivs/lists/sosvenezuela

No Instagram:

@realidadenvenezuela

Além desse excelente post da Reaçonaria:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.