segunda-feira, 17 de março de 2014

Por que o Ocidente é superior?

Por André,

O último texto, sobre Jean Wyllys e Rodrigo Constantino, faz levantar uma discussão importante: a cultura ocidental é superior às demais? Se sim, isso é pecado? É retorno ao nazismo? Essa cultura deve ser imposta?

Existe um material vasto sobre essa questão, eu mesmo, embora interessado pela questão, não vasculhei nem um décimo da mesma e o assunto é um convite a afirmações dúbias ou precipitadas.

Muitos poderiam objetar: mas imperialismo, racismo, eugenia, preconceito, colonização, guerras etc. etc. não são produtos de fábrica ocidentais? Bem, de certa maneira, sim. Porém nada disso é privilégio do Ocidente, muitas dessas coisas nem começaram com ele e em nenhum lugar do globo essas coisas são mais combatidas do que aqui.

Acho que um dos pontos que os críticos precisam ter em mente é sob qual critério faremos nossa análise? Sob o critério do possível ou do desejável? Da perfeição ou do adequado a critérios realistas?

Isso é essencial, pois quando afirmamos que a cultura ocidental é superior e que os valores aqui defendidos são os mais elevados disponíveis, não estamos dizendo que aqui tudo é perfeito e que em todos os cantos do ocidente gays são livres, não há mais nenhum tipo de escravidão ou injustiça. Mas certamente todas essas coisas existem menos por aqui do que em outros lugares.

Vejamos um exemplo disso. No vídeo abaixo, habitantes da Alemanha Oriental arriscam suas vidas para atravessar um rio e chegar na Alemanha Ocidental. Preocupada com a possibilidade de ser alvejada, a fugitiva diz que temeu, alguém que a assiste afirma "fique tranquila, você está em território ocidental":


Afirmar a superioridade do Ocidente a partir de depoimentos como esse é dizer que todos que aqui habitam gozam de plena liberdade, democracia e direitos civis assegurados 100% do tempo? Não. É apenas constatar o óbvio: a parte do globo onde a maioria das pessoas goza de tais virtudes é esta.

Muitos já diagnosticaram o declínio da civilização ocidental. Parece até que esse fato orkutizou-se, todos falam dele com relativa autoridade (até ironizei no Facebook outro dia perguntando o que cada um fez naquele dia para salvar a civilização ocidental - uma espécie de mote revolucionário da direita). Um autor que já conhecia, mas que tive contato maior há pouco, o filósofo alemão Oswald Spengler diz que tal declínio é inevitável. Civilizações são como organismos, mais cedo ou mais tarde desfalacem (pensando de forma rápida, sua conclusão parece evidente: Grécia clássica, China, Egito, Roma e na mesma esteira os impérios: mongol, britânico, francês, espanhol etc).

Mas isso não impede de afirmarmos sem medo que a cultura ocidental é superior a todas as outras disponíveis e já vistas.

O Intelligence Squared realizou um debate com o seguinte tema "deveríamos ser relutantes em afirmar a superioridade dos valores ocidentais?". O debate é sensacional, das falas pró-Ocidente, destaco as de Douglas Murray e a simplesmente épica de Ibn Warraq, apóstata muçulmano:



O lado anti-ocidental era bastante fraco: um estudioso de islamismo que tradicionalmente reduz toda conversa a um debate de bar, um marxista americano que não consegue conter a ansiedade por ver o capitalismo e os EUA destruído e um historiador que mistura passado com presente: ele cita mazelas passadas praticadas no Ocidente (a Inquisição, por exemplo, há quanto tempo a última ocorreu?) como se isso refutasse a superioridade do Ocidente hoje. Warraq refutou todos esses pontos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.