quinta-feira, 17 de abril de 2014

Estudo: a única revolta de valor para pobres

Por André,


Não gosto de compartilhar imagens do Facebook aqui, mas essa vale a pena.

Primeiro porque acho que diz bastante sobre mim, depois porque faz parte dos meus discursos de início de ano nas escolas em que trabalho.

Sou o primeiro a admitir para meus alunos o estado deplorável da educação e o atraso do atual formato da escola, mas não emendo como conclusão imediata disso que devamos simplesmente ignorar a escola ou os estudos.

Sempre digo: quem quer mudar que vá estudar educação, abrir uma escola e ter uma contribuição positiva na história da pedagogia.

Quem não, que se aproveite do mínimo que a escola ainda é capaz de oferecer (uma biblioteca modesta? Dois ou três bons professores? Distribuição de livros?) e reclamar menos - ou reclamar com consciência de si e não com automatismo bobo.

Não há nada mais característico de agir de acordo com o "sistema" (odeio o uso dessa palavra, confesso) do que ser burro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.