sexta-feira, 25 de julho de 2014

A real divergência com a esquerda não é de diagnóstico ou de causa, mas de motivo.

Por André,

Em tempos de revolta de Jandiras Feghalis e da trupe psolista com a opressão de palestinos, uma pergunta surge à mente sã: se a esquerda realmente está preocupada com a opressão estatal de minorias, por que ela não dirige ao menos parte da sua revolta (além, é claro, de rever suas crenças políticas) para a opressão perpetrada contra minorias em estados teocráticos islâmicos? É bem sabida a vista grossa, quando não a cumplicidade, da esquerda com os regimes islâmicos. O próprio Michel Foucault nada viu demais na revolução iraniana de Khomeini.

Se a preocupação com a opressão fosse sincera e honesta, não deveríamos observar preocupação da militância iluminada com a crescente do islamismo pelo mundo? Será que quando a esquerda se posta como defensora dos negros vítimas de racismo, das mulheres vítimas de violência ou de homossexuais vítimas de preconceito, eles realmente estão preocupados com esses indivíduos ou há um quadro mais amplo no qual a coisa se encaixa e explica a dispensa de preocupação com mulheres e gays que habitam países islâmicos?

Pego esse gancho para estabelecer uma linha demarcatória entre gente de esquerda e pessoas de bom senso, quer sejam de direita quer não.

Pessoas de ponta a ponta do espectro político podem compartilhar diagnósticos e até causas, mas jamais motivos, meios e métodos para solucionar os problemas pelos quais se compadecem.

Muita gente de bom senso admitirá que existem sim casos de violência contra mulheres por serem mulheres e casos de racismo dignos de previsão legal. Mas certamente NÃO compartilharão dos métodos, motivos e meios para solucionar esses problemas com a esquerda, que tem posições bem particulares quanto a esses quesitos, tanto que praticam racismo (Joaquim Barbosa, para citar um exemplo próximo e recente) ou homofobia (Clodovil Hernandes), caso o freguês da causa não lhes sirva.

Por isso exorto que ninguém adira a movimentos de esquerda, mesmo que compartilhe preocupações justas e morais com minorias. A aderência da esquerda a essas causas nem de longe passa próximo da sua preocupação justa e moral com qualquer minoria, se assim fosse não dirigiriam suas atenções a minorias tão restritas e seletas.

Um comentário:

  1. Buscar coerência no discurso da esquerda é algo impossível. O que sustenta essa ideologia é a mediocrização dos pensamentos no mundo. E como a lógica e a inteligência não são mais exercitadas, a seleção natural está virando tudo ao avesso...

    ResponderExcluir

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.