quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Extrema "direita" e extrema esquerda, mais que amantes, irmãs gêmeas

Por André,

O jornal A Folha de São Paulo publicou artigo nojento chamado "Dez teses sobre a ascensão da extrema direita europeia" de autoria Michael Löwy (conferir a produção bibliográfica do sujeito ao final do meu comentário).

Depreendemos do texto que a dita "extrema direita" (a frequência com que o vocábulo aparece na nossa imprensa é incrivelmente menor com relação a "extrema esquerda" - sendo que estes últimos também circulam ao nosso redor e aos montes) é:

Coletivista, estatista, centralizante, prega o dirigismo econômico, socialista nacionalista, elege os estrangeiros como principal inimigo, totalitária, cultua um grande líder. É anticomunista.

Mas e a extrema esquerda, o que é?

É internacionalista. O nazismo é nacional, o comunismo é internacional. Ambos sonham com mudanças radicais e bruscas como carros-chefe de um "mundo melhor".

A extrema-esquerda e o que convencionou-se e popularizou-se como extrema "direita" nada mais são que faces da mesma moeda; irmãos gêmeos forçadamente separados após o nascimento.

Quanto a Löwy, considero sujeito no mínimo suspeito para atirar acusações contra quaisquer direitas, extremas ou não:

The Marxism of Che Guevara, New York, Monthly Review Press, 1973.
(Second Edition : Rowman and Littlefield, 2007. Also in French, German, Spanish, Portuguese, Greek, Turkish, Persian & Thai).

“Marxism and Revolutionary Romanticism”. Telos 49 (Fall 1981). New York: Telos Press.
Georg Lukács: from Romanticism to Bolchevism, London, Verso, 1981.
(Also in French, Spanish, Italian, Swedish and Portuguese, Spanish).

The politics of combined and uneven development. The theory of permanent revolution, London, Verso Books, 1981.
(Translated into German and Korean, Séoul).

Redemption and Utopia. Libertarian Judaism in Central Europe, Stanford University Press, 1992.
(Also in French, Italian, Swedish, German, and Portuguese)

Marxism in Latin America from 1909 to the Present, New Jersey, Humanities Press, 1992.
(Also in Spanish and Portuguese).

On Changing the World. Essays in political philosophy: from Karl Marx to Walter Benjamin, New Jersey, Humanities Press, 1993. (Also in Japanese and Persian).
The war of gods. Religion and Politics in Latin America, London, Verso, 1996.
(Also in Spanish, Portuguese and French).

Fatherland or Mother Earth? Essays on the national question, London, Pluto Press, 1998.
(Also in Spanish and Portuguese).

Morning Star. Surrealism, Marxism, Anarchism, Situationism, Utopia, Austin, University of Texas Press, 2000.
(Also in Spanish, Portuguese, Italian, Greek).

Romanticism against the Tide of Modernity (with Robert Sayre), Durham, Duke University Press, 2001.
(Also in French, Greek and Portuguese).

Franz Kafka, rêveur insoumis, Paris, Editions Stock, 2004.
(Translated into Portuguese, Italian, Spanish and Greek).

Fire Alarm. Reading Walter Benjamin’s ‘On the Concept of History' , London, Verso, 2005.
(Also in French, Italian, Spanish, Portuguese and Greek).

The Theory of Revolution in the Young Marx, Chicago, Haymarket, 2005.
(Also in French, Italian, Portuguese, Spanish and Japanese).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.