segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Mais sobre o projeto de islamização do Ocidente

Por André,

Ontem escrevi mais um texto alertando para um problema que a maioria das pessoas estão se dando conta apenas agora: o projeto político totalitário que vem embutido com o Islã. Falo agora para os que já estão cientes do problema, não sofrem de afetações politicamente corretas e multiculturalistas e já vislumbram eventual solução para o problema ou, para os mais céticos, amenização do mesmo (quem não sabe em qual estágio está ou acha que o problema não é tão grave assim sugiro que leia todos os posts taggeados com "islamismo").

Penso que o grande problema seja que as comunidades muçulmanas que imigraram para a Europa não se integraram à cultura local; pelo contrário, têm ojeriza a ela e não contentes, pretendem liquida-la e implantar a sua própria. O vídeo abaixo, de março desse ano é em Londres (cidade cujo nome de menino mais comum é Muhammed) ilustra bem esse ponto:


Observemos que o grito de guerra da comunidade é "sharia for UK", ou seja, a substituição da "rule of law" criada e legada ao mundo pelos britânicos pelo famigerado "direito islâmico".

Quando exatamente o processo de islamização de uma sociedade se inicia? Segundo o professor Peter Hammond, quando há número suficiente de muçulmanos radicais para que estes comecem a demandar "direitos religiosos", segundo Hammond isso ocorre quando a população de muçulmanos ultrapassa 1%. A análise completa pode ser lida numa publicação de 2008 da FrontPage Magazine.

Recomendo ainda dois artigos da Spiegel Online sobre o 'recém' ascendido ao poder ISIS:

É o ISIS pior que a Al-Qaida? [a resposta é sim].


Um paquistanês radicado no Canadá fez um excelente resumo do problema do islamismo político e complementei com alguns dados. A ideia da moderação entre os que propagam o islamismo político é um embuste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.