sábado, 13 de setembro de 2014

Hélio Beltrão debate a crise de 2008 com Paul Singer e Carlos Eduardo Carvalho

Por André,


Segundo presentes da palestra, tratou-se de um massacre:
Eu estive na palestra – melhor: na mesa redonda que teve na PUC-SP. O Hélio, cercado por dois comunistas, petistas históricos. Na teoria deles, era para o Hélio ser massacrado. Mas… Eis que acontece o contrário! 
O Paul Singer (fundador do PT, todos sabem) desdenhou a platéia e foi puro enbromation na sua fala. Pombas, até eu que desconheço economia, sei que ele falou muitaaaa m… ali. Dai vem o Hélio. Passadas as cordialidades de praxe, ele DETONA o sistema bancário e financeiro atual, o BC, o BNDES – que disse que é um Robin Hood às avessas, já que ele pega dos pobres para dar a empresários muito ricos. 
Ele quebrou as pernas do terceiro debatedor e professor da casa, Carlos Eduardo, ao atacar os bancos e defender… os pobres! Ele, sem saída, teve que mudar na marra o discurso dele. Ficou o tempo inteiro entre atacar o Paul Singer (fogo amigo estratégico para não ficar mal no debate) e ser contra algo que o Hélio colocava. 
Foi um massacre do Hélio, sendo que ao final da palestra/debate, muitos alunos estavam dizendo que nunca tinham ouvido isso que ele falou, que queriam pensar e ler mais a respeito etc. Em outras palavras: vencemos, arrasamos, convencemos. 
O Hélio “mitou” diversas vezes no debate. Uma delas, após uma professora da casa tomar o microfone e fazer loas a Paul Singer e dizer que não sabia que raios estava ali, se era “um ultra liberal, um anarco sei la o que”, foi defender o marxismo histórico. E tomou duas vezes. Primeira, que o Hélio, com a classe que ele tem, disse: “se o Marx disse no capital, então ta”, acabando com o argumento dela. Em seguida, o professor da PUC que estava na mesa, disse que a história mostrou que onde o socialismo foi governo só teve mortos – melhor ele falou! – e que isso não pode voltar de novo, que é um erro. Ou seja: ela tomou do companheiro de armas dela! 
Outro momento fenomenal, cômico, foi no fim, quando o professor tentando salvar o discurso deles, disse que a regulação no mercado é necessária e que o mercado de alimentos – por ex – sem regulação estatal, levaria ao envenenamento dos consumidores! Ah, mas o todinho com detergente, o Ades com soda foi o que, senão uma reguladora estatal? Como se o cara fosse matar aquele que lhe trás lucro, traz seu pão! Só se ele fosse louco de internar no manicômio. 
Ademais, em off, o mediador do debate, do curso de Relações Internacionais da PUC, disse que ficou fã do Hélio após o debate. E mesmo aquele professor que estava no debate, disse que nunca viu o auditório tão animado. 
Que noite, que tudo!!!!! Uma noite histórica e eu pude fazer parte dela! 
Privar de uma companhia maravilhosa, conhecer mais pessoas e saber que estamos influenciando positivamente universitários em plena PUC-SP, onde sempre foi reduto de esquerdalhas é muitooooo bom! As conversinhas após a palestra deixaram isso muito claro. E embora “aparentasse” para a geral que ficou empatado, esse empate é uma vitória nossa, pois davam de boa que seriamos triturados. E na verdade o contrário aconteceu! 
Eles viram que viemos e não viemos para brincar, não! Pra valer, não queremos saber de WO e mais: não arregamos diante da luta não! Terão que repensar tudo, pois viram que do outro lado há muita gente e pessoas pensantes, que darão trabalho a eles! Yeah!!! 
Agora que de verdade começa o trabalho duro. Cultivar essas sementinhas lançadas ali. E será muito bom saber que poderemos estar no meio de uma geração histórica, pois vamos mudar muita coisa nesse pais ainda, se Deus quiser, aguardem. Alegria estar ao lado de quem fará parte da mudança real desse pais! Estamos juntos, sempre e sempre! Viva a liberdade! 
Aux armes!
Eu sempre atribuí exatamente a isso a fuga como diabo da cruz de debates com determinados formatos e convidados. Eles fogem do conflito direto. O depoimento da prática pode ser catastrófico diante de embustes ideológicos. Parabéns ao Helio Beltrão pelo serviço prestado. Nesses ambientes sempre há aquele estudante mais acanhado que fica se perguntando "será que só eu vejo isso?", esse aí precisa mais do que ninguém de desmascaramentos públicos como este.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.