quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Prof. Carlos Moore, exilado cubano, é vítima da esquerda em seminário na UERJ

Por André,

Professor Carlos Moore

refutei exaustivamente aqui o mito da esquerda como defensora dos negros, pobres, gays ou mulheres (mesmo quando, em raros casos, há boas intenções, os métodos da esquerda nunca se convertem em benefício para as ditas minorias). Já tivemos inúmeros exemplos: Joaquim Barbosa, Clodovil Hernandes, mas talvez nenhum seja tão emblemático quanto o do professor Carlos Moore.

Prof. Dr. Carlos Moore Wedderburn é cubano, cientista político e doutor em etnologia. Vive no Brasil há mais de 15 anos, exilado do regime comunista de Fidel Castro.

Escreveu o livro "Marxismo e a Questão Racial", no qual desmascara o regime da ilha castrista e seu racismo atroz.

Carlos Moore é uma referência internacional no debate sobre o racismo na história. Exilado no Brasil há mais de 15 anos, o intelectual possui um papel de destaque na divulgação das ideias panafricanistas e da emancipação negra. Porém, no último dia 14 de outubro de 2014, o pesquisador foi verbalmente agredido ao participar de um evento na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) quando discutia o racismo presente na obra de Marx e Engles, que é objetivo de um livro de sua autoria, O Marxismo e a Questão Racial. Na oportunidade, defensores do marxismo, incluindo um candidato a presidente pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB) teriam desqualificado o autor, que conviveu com grandes líderes negros, a exemplo de Malcolm X, Cheik Anta Diop e Aimé Césaire e é um dos mais destacados pesquisadores da relações raciais no mundo. Em uma entrevista exclusiva ao CORREIO NAGÔ, Carlos Moore fala sobre a agressão que teria sofrido no evento e sobre suas ideias e pesquisas em relação ao tema.

O uso instrumental de minorias para fins políticos fica mais uma vez evidenciado e provado. Qualquer um que o negue será desonesto ou incrivelmente ignorante.

Moore comenta a agressão que sofreu na entrevista abaixo. A pressão psicológica e por mentiras contra Moore não é nova: está numa lista elaborada pelo regime cubano como "agente da CIA". Porf. Carlos não tem papas na língua ao afirmar que os regimes comunistas/marxistas são capazes de realizar apenas três coisas sistematicamente: caluniar, mentir e executar.

Confira a entrevista abaixo:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.