sábado, 8 de novembro de 2014

Questão do ENEM usa texto de professor da UNCAMP que afirmou que o mensalão não existiu. Questão faz caricatura do conceito de "conservadorismo"

Por André,

Essa é mais uma daquelas evidências pra você mostrar pro seu amigo esquerda light que acha que propaganda ideológica de esquerda nas escolas/universidades é coisa de reacionário que vê comunista embaixo da cama.

De entrevista publicada aqui.

Muitos saem pela tangente alegando duas coisas: 1) cânone e 2) direitos humanos. Claro que questões formuladas com base nas teorias de Karl Marx estão no cânone oficial e é normal que façam parte de avaliações como um todo, porém, segue sendo surpreendente a frequência. Ainda assim, o questionamento não é e nunca foi da presença de autores esquerdistas nas provas, mas sim seu predomínio absoluto e hegemônico, quando seria questão de sanidade mental trazer vozes de oposição (especialmente para assuntos questionáveis e já exaustivamente questionados). E depois, nem sempre é uma questão de direitos humanos. Claro que defender a pena de morte bovinamente pode ferir os direitos humanos.

Mas o que dizer do exemplo da imagem? O professor Nobre não está no cânone, certamente. Nem o tema tratado versa sobre direitos humanos. O trecho selecionado não faz nada mais que fazer de seu opositor ideológico - o tal "conservadorismo" da sociedade brasileira - um espantalho. Uma caricatura.

Se não há viés ideológico, por que isso só acontece desse lado do espectro? Por que os exemplos sempre resvalam em questões, causas e pautas de esquerda e nunca de qualquer outra coisa (de centro, libertárias etc)?

Mais exemplos apenas do ENEM de 2014:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.