domingo, 28 de dezembro de 2014

Por que não confiaria nem mesmo 20 centavos ao tal "Movimento Passe Livre

Por André,

Listo alguns motivos:

1) O movimento é desonesto em sua proposta mesma. Ter como bandeira transporte "gratuito" é um embuste intelectual. A famosa frase "não existe almoço grátis", que foi dita por um liberal chicaguista (coisa que você que chama todo mundo de neoliberal deveria aprender o que é pra ontem), mas sua verdade é pura e simples: não existe serviço prestado gratuitamente, existe serviço prestado com dinheiro realocado de algum lugar, que você paga direta ou indiretamente. Quem não diz isso subestima a inteligência da sua matilha e engana as ovelhinhas mais ingênuas. Acreditar num grupo com essa proposta é como acreditar num professor de geometria que alega ter a habilidade de desenhar círculos quadrados - serviço gratuito não existe e isso não é questão ideológica, é questão de definição. Pontuar isso é uma questão de honestidade, mesmo que a solução para os problemas do transporte da terceira maior metrópole do mundo tivesse sido descoberta por meia dúzia de adolescentes mentais que nunca dirigiram uma van e essa solução fosse criar o SUT - Sistema Único de Transporte, é questão de honestidade dizer abertamente quais são suas intenções. Eles não dizem e eu não aposto e não recomendaria apostar minhas fichas em gente desonesta. Se há sombra envolvendo o que há de mais elementar no "movimento", imaginemos em todo o resto.

2) Eu não sei quem responde pelo MPL (o site não traz informação, nem mesmo o endereço). Não estou dizendo que essa(s) pessoa(s) eventualmente não exista(m), estou apenas dizendo que não sei quem é e a informação não é tão livre quanto o passe. Se eu quiser processar o MPL, processarei a quem especificamente? Quem responde juridica e financeiramente pelo movimento? Quem paga as contas e porquê? O MPL tem CNPJ? Paga imposto? É entidade jurídica? Qual seu endereço e telefone?

Eu jamais confiaria nem mesmo 20 centavos a qualquer organização que não traga abertamente esse tipo de informação. É o mínimo que é cobrado até de uma padaria de esquina.

Comentário de um amigo no Facebook:

Não tenho conhecimento do parâmetro geral a nível nacional. Sei que em Joinville - cidade em que resido - o MPL não possuo CNPJ e nem mesmo membros. As pessoas que militam pelo MPL aqui sempre negam ser do MPL. Quando perguntamos quem lidera o movimento, quem dirige, dizem que não há direção nem liderança e que tudo ocorre por manifestação espontânea. 
O motivo para isso é um só: Não assumir responsabilidade pelas cagadas que fazem. Sem um líder, sem um CNPJ, sem uma direção, não há como identificar os responsáveis pelas catracas quebradas, pelos carros incendiados ou pela obstrução do trânsito.
Tinha exatamente isso em mente quando escrevi o texto acima, apenas procurei evitar o tom alarmista, mas a intenção de ter uma aura tão escura envolvendo o movimento é exatamente essa, se ninguém responde, qualquer eventual problema de maior porte não será respondido por ninguém, porque não pode ser respondido por todos os membros "espontâneos". Embora sem membros, sem endereço e sem nada, o MPL já foi representado no Roda Viva, vive nos jornais (um garoto de 24 anos que faz Filosofia foi entrevistado pela Folha de SP, certamente um grande entendedor de transporte urbano), ainda assim não sabemos quem realmente é membro e quem realmente participa. Você toparia ser atendido por uma clínica sem médicos, supostamente sem dinheiro e sem CNPJ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.