quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Dinesh D'Souza responde à hipótese libertária sobre política externa

Por André,


Em tempos de ISIS e das ideias libertárias ganhando terreno, esse vídeo se faz essencial. A hipótese libertária para a política externa pode ser resumida assim: retirada imediata das tropas americanas de todo lugar do globo e mais nenhuma intervenção. Lembra o sonho de consumo dos esquerdistas mais radicais, não?

Que resultado teríamos visto nas duas guerras mundiais caso essa hipótese tivesse sido posta em prática? Como combater o ISIS não-combatendo o próprio?

Nesse último caso, vale lembrar, Ron Paul chegou às raias da loucura e atribuiu os ataques à Charlie Hebdo à política externa francesa (por que um mercado judeu foi atacado e porque o antissemitismo cresce em Paris deve ser fato inconcebível para a mente libertária radical e para companheiros de viagem desonestos como Reza Aslan). Nesse aspecto, penso eu, a última linha que separa um libertário de um esquerdista radical foi suprimida: a realidade é item secundário quando é possível reforçar a narrativa libertária de que toda política externa intervencionista é, por definição, nefasta. A verdade é sacrificada no altar da ideologia.

O ISIS NÃO é resultado das políticas externas norte-americanas, britânicas ou francesas, mas sim é fruto do islamISMO, ideologia política de forte cunho ideológico. Qualquer um que se proponha a negar isso está manipulando a realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.