sábado, 14 de fevereiro de 2015

O brilhante Larry Elder sobre algumas questões importantes

Por André,

Larry Elder é americano, advogado e atualmente é radialista (o rádio segue sendo fortíssimo nos EUA, especialmente como fonte de notícias - diversos radialistas são incrivelmente mais importantes que jornais como o New York Times ou emissoras como a CNN). Por ser negro e defender veementemente posturas politicamente "incorretas" Elder é constantemente rotulado de "Uncle Tom" (a versão americana para "negro da Casa Grande").

Nos dois casos mais recentes de negros mortos pela polícia, fatalidades que foram transformadas em narrativas homéricas sobre o quão racista os EUA supostamente é, Elder desmontou a cantilena com brilhantismo.

Sobre o caso Travyon Martin, no programa de Piers Morgan (que após deixar a CNN já está criticando seu velho queridinho Barack Obama):


E no caso mais recente, sobre Michael Brown da cidade de Ferguson:

Aqui:


E aqui:


Embora casos como o de Travyon Martin e Michael Brown sejam extremamente raros, são vistos com olhos diferentes porque ajudam e muito a esquerda radical a reforçar sua narrativa antiamericana, tentando provar que os EUA ainda é um país racista. Elder desmonta esses blefes ideológicos com números interessantes:

- Mais de 75% dos negros mortos nos EUA são mortos por outros negros (muitos desses casos permanecem sem solução).

- Apenas 2% dos negros mortos são mortos quando desarmados por policiais brancos.

- Estudos sociológicos mostram que a ausência de um pai em famílias negras é muito mais influente como causa da violência do que o racismo, por exemplo.

- Quando perguntados se o racismo é uma questão relevante, a maioria da população negra responde que sim, embora os declarantes não afirmem ter vivenciado situações racistas.

Isso é mais que suficiente para refutar a cantilena de que os EUA é uma nação racista, quando na verdade, se a população negra americana formasse uma nação independente seria algo como a 15ª nação mais próspera do mundo, segundo Larry Elder.

Para quem ainda não conhece Larry Elder, também recomendo este vídeo comentado com trechos de uma entrevista que ele fez com o ex-terrorista Bill Ayers, onde este afirma que não se arrepende de ter tentado explodir o Pentágono, o Capitólio e estações de polícia em forma de "protesto" contra a Guerra no Vietnã:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.