sábado, 19 de setembro de 2015

Depoimento de refugiado sírio cristão levanta questões sobre a natureza da crise migratória

Por André,

Um amigo recebeu o seguinte depoimento de um refugiado sírio católico. Apenas mais uma mostra que a turba que tentou e tenta conduzir o debate sobre o fluxo migratório com o velho argumento do "amor" faz apenas prestar um desserviço à busca da verdade e da moderação:

"Vi que você postou sobre os refugiados sírios. Sobre isso,tenho uma denúncia a fazer para que a verdade do que realmente ocorre atualmente naquela região seja de conhecimento público. No entanto, caso comente algo sobre isso publicamente, peço apenas que não cite como conseguiu essa informação. Se conseguir passar para o professor Olavo, acho que seria interessante, visto que ele sempre nos alertou sobre a ONU e sobre o Islam fazer parte dos planos da esquerda, apesar dos muçulmanos terem seus próprios objetivos. 
Sou Católico Maronita. Assim, tenho contato com a comunidade libanesa e árabe, além de ter tido um contato bem intenso com a comunidade islâmica de minha cidade por 2 anos (e vi pessoas que, disfarçadamente, tentavam ou almejavam trazer o terrorismo islâmico para o Brasil). 
Através de outro amigo maronita, consegui contato com um refugiado cristao sírio que veio para a cidade. Este refugiado fez uma reunião conosco e contou sobre a trajetória dele para chegar ao Brasil. A primeira denúncia foi a seguinte: ele explicou que, para ser considerado refugiado, é necessário que a ONU envie uma equipe para visitar a pessoa. Esse cristão pediu a visita e, no dia em que a equipe da ONU foi para a casa dele para analisá-lo, percebeu que a comissão era formada apenas por muçulmanos (cinco ou seis muçulmanos, se não me falha a memória). Ele então disse que, logo que chegaram na casa dele e viram a cruz atrás da porta de entrada, a equipe não disse nada, apenas entregou um papel negando que eles saíssem da Síria como refugiado. 
A ONU está permitindo que saiam para o resto do mundo apenas muçulmanos. 
A primeira denúncia dele termina aí, mas obviamente conseguimos tirar conclusões claras. A partir do momento que a equipe é formada apenas por muçulmanos, que negam a oportunidade de cristãos serem salvos do Estado Islâmico, não é difícil de perceber que se trata de uma guerra religiosa para a própria equipe da ONU. Não tenha dúvida que a equipe da ONU permite a saída de jihadistas e lobos solitários treinados pelo Estado Islâmico para se infiltraram na Europa, afinal essa mesma equipe condena os cristãos à morte ao negarem a possibilidade de serem considerados refugiados. Eis que essas comissões da ONU não passam de um modo de se fazer a jihad, o esforço próprio que permita a destruição de nossa cultura cristã ocidental. 
A segunda denúncia que fez foi que para conseguir visto ao Brasil, ele simplesmente chegou à embaixada e mostrou o passaporte. O funcionário da embaixada perguntou se ele era sírio, e ele confirmou. Em seguida eles devolveram o passaporte e lhe disseram "seja bem vindo ao Brasil". Ele perguntou se não haveria algum tipo de entrevista ou algum formulário que fosse para preencher e ser analisado pelo governo. A embaixada negou, e disse que bastava ele ser sírio, de resto estava tudo certo. 
Estamos recebendo um fluxo inimaginável de imigrantes sem controle algum. É histórico que existe uma comunidade islâmica terrorista em Foz do Iguaçu, bem como em São Paulo. 
Desculpe pelo texto demasiado grande, mas é que encontrei a oportunidade perfeita para repassar essas denúncias que eu guardava presas na minha consciência. Peço novamente para preservar meu nome caso queira utilizar essas denúncias. 
Grande abraço"

Reportagem confirma o depoimento: refugiados cristãos têm receio de revelar sua fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.