quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Imigrantes legais da Suíça se sentem atraídos pelo partido de direita

Por André,

Partido de direita que propõe controle de imigração vence eleições na Suíça.

Imigrantes se sentem atraídos por partido que propõe leis rígidas para evitar a imigração ilegal.


Se tem um tipo de notícia que me agrada é essa: imigrantes LEGAIS se atraem pelos partidos de direita com políticas rígidas sobre imigração. É mais uma daquelas notícias que buga o cérebro de esquerdista que acha que os esquemas ideológicos criam uma realidade e não que a realidade é soberana na hora de criar teorias explicativas sobre o mundo.

Lembro-me de, à época das eleições para primeiro-ministro na Grã-Bretanha, debater com alguns habitantes das catacumbas de pensamento da internet (a seção de comentários das páginas do El Pais, da BBC e da DW) porque eu, brasileiro, mostrei minha simpatia pelo UKIP e pelo seu candidato Nigel Farage. Como é possível que, na melhor das hipóteses um pretenso imigrante defenda um partido e um candidato pela causa contrária à imigração em massa?

As mentes limitadas funcionam assim: tudo aquilo que não se submeter ao esqueminha ideológico simplesmente não pode existir, mesmo que a realidade esteja aí, soberana e sublime, apontando na direção contrária.

É sempre o mesmo:

- Gay conservador: não pode.
- Negro contra cotas: não pode.
- Mulher antifeminista: não pode.
- Branco pobre: não merece nada porque é branco.
- Pobre de direita: não pode (e essa sempre rende comentários engraçadíssimos!).
- Imigrante contra a imigração ilegal (mesmo depois de anos de labuta para se tornar um imigrante legal, como as coisas devem ser): não pode.

A inteligência simplesmente foi destruída pela ideologia. A realidade é sacrificada no altar ideológico. Esse sociologismo rasteiro e chinfrim onde as pessoas não são indivíduos que pensam por si próprios e que buscam a verdade, mas sim engrenagens de um grupo ou uma classe e que devem aderir ao pensamento de manada - e que grassa forte e vivaz entre os círculos pseudocults) - é das coisas mais baixas que circulam na atmosfera 'intelectual' atual. Embora esse raciocínio deva muito ao marxismo, estou certo que talvez o próprio Marx se envergonharia dele.

O jeito é continuar dando curto-circuito nos esqueminhas ideológicos dessa gente. Além de necessário é engraçado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.