sábado, 2 de setembro de 2017

Primeiro como farsa, depois como tragédia, como dizia Marx

Por André,

De novo. A maldição se repete de novo. Dizem que a esperança é a última das pragas, presa ao fundo da caixa de Pandora. Cada vez que a história se repete, a esperança fica toda ouriçada - ou dito na foma do populacho: "será que agora vai?!".

A situação é a mesma do rato que é pego pela mesma ratoeira repetidas vezes, mesmo sabendo que será pego, numa espécie de mórbido e libidinoso desejo de se dar mal (na esperança que dessa vez vai se dar bem).

A conversa é tão agradável, as maneiras são tão harmoniosas, a vontade de manter a conversa ad eternum é incontrolável.

É, amigos, está acontecendo novamente. Vejamos no que vai dar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.