quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Aristóteles pelo armamento

Por André,



Tentando traduzir a discussão sobre armamento em linguagem aristotélica, a coisa fica mais ou menos assim, penso eu:

Desarmamentistas não estão de todo incorretos quando querem dizer que "armas matam". Se encaixarmos o ato de assassinar com arma de fogo na teoria das quatro causas, observaremos que a "causa material" dessa morte é a arma de fogo (o "meio" material para o ato é a arma). Contudo, e aí entra o argumento inescapável e, creio eu, evidentemente, insuperável, dos "armamentistas": se eu mato alguém a cadeiradas, a culpa é minha ou do marceneiro que fez a cadeira?

Ainda poderiam objetar que a "causa final" de uma arma de fogo é a morte, ao passo que a "causa final" da cadeira é o ato de sentar-se. Contudo, além disso não ser exatamente verdadeiro, pois posso usar a arma para intimidar um agressor, para me defender de forma não-letal (como é recomendado que se faça à luz da situação), a arma jamais encontra sua "causa final" por si só, mas apenas com um agente que possa atualizá-la. Também, embora a causa final de uma faca seja, por exemplo, cortar alimentos e a de um carro, deslocar-se mais rápido e com mais conforto, nada impede que eu desvirtue esse dado de sua natureza e use esses objetos para matar. Portanto, argumentar que a "causa final" de uma arma de fogo é o assassinato não é um bom argumento contra sua posse, porte ou uso.

Eis então que, a "causa eficiente" de uma morte por arma de fogo é o sujeito "agressor", só é possível assassinar com arma de fogo com uma causa eficiente que torne possível o ato de assassinar.

Portanto, como mais uma vez fica evidente, aqueles genuinamente preocupados com a violência devem combater a causa material, a causa final ou a causa eficiente, sabendo que sem causa eficiente não há causa final?

Até Aristóteles concordaria que armas não matam.

2 comentários:

  1. Gosto do seu blog e espero que continue postando. Muitos como eu buscam orientação sobre política, conservadorismo, economia e cultura em blogs como o seu, que parecem ser relativamente escassos na internet. Bom trabalho! Você tem algum outro canal de contato como email?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, meu caro, tenho todas as redes sociais imagináveis, haha (no próprio site, ao lado direito, você encontra os banners) e e-mail também, é claro. Que é: andre.assibarreto@gmail.com

      Agradeço as palavras de reconhecimento, sempre importante nesse universo de muito trabalho e pouco retorno.

      Forte abraço.

      Excluir

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.