quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Por que precisamos de Jordan Peterson?

Por André em Burke Instituto,



Tive o privilegio de conhecer o psicólogo canadense Jordan Peterson pouco antes de ele se tornar mundialmente conhecido (escrevi meu primeiro post sobre ele em meu blog pessoal em fevereiro de 2017). Foi antes da controvérsia em torno do projeto de lei C-16 se tornar fato notório, mas já após o posicionamento corajoso de Peterson com relação à lei, que pretende não punir quem usar linguagem “imprópria” (o que já seria bastante discutível), mas aqueles que se negarem a usar pronomes inventados (ou uso alternativo dos já existentes) para se referir a pessoas de gêneros diversos (“zir”, “zur”, “them” etc.), fazendo uma demanda positiva pelo uso de uma linguagem “correta”. Assisti a todos os seus vídeos com debates, entrevistas e palestras disponíveis até então. Chamei-o, imediatamente, de herói da liberdade de expressão. Confesso que pensei que a coisa pararia por aí, que Peterson seria mais um “polemista” das redes sociais (ala Milo Yiannopoulos), indispensáveis nos tempos de hoje para defender a liberdade de expressão, mas não muito mais que isso. Ledo engano.

Não farei aqui um resumo do pensamento de Peterson (sugiro, para esta finalidade, o texto Quem é Jordan B. Peterson), mas uma exposição de algumas razões pelas quais devemos prestar atenção nele, sermos entusiastas de seu trabalho e por que precisamos de alguém exatamente como ele para o exato momento em que vivemos.


Continue a leitura do texto no site do Instituto Burke, clicando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seja polido;

2. Preze pela ortografia e gramática da sua língua-mãe.